Discutível Perfeição | Estórias, cotidiano, mulherzice e tudo que me intriga...: RETALIAÇÃO

ÚLTIMOS POSTS









quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

RETALIAÇÃO


Deslizei a chave de rodas pelos dedos enquanto circundava outra vez aquele maldito carro. Oh, sim! Era um belo veículo, mas não vai ficar assim por muito tempo. Talvez... Pelo amor de Deus! Não me olhe com essa carinha. Afinal, o cretino merecia ser castrado. Todavia, eu não teria estômago pra castrá-lo. Portanto, vou destruir seu belo automóvel.

Ouvi de uma fonte segura que essa belezinha aqui saiu da concessionária na segunda-feira. Ah! Isso que eu chamo de vingança! Oh, por favor! Eu sei que isso é crime, mas... Deixe pra lá! Você nunca compreenderia!

Expirei pela última vez, antes de reunir toda a coragem necessária para o que estava prestes a fazer. Ok, garota! É agora ou nunca! Então, sem mais debates internos, dei mais uma checada na rua. Ótimo! Nenhuma alma para presenciar a destruição do parabrisa do meu querido ex-noivo.

Mordi o lábio inferior no momento levantei a ferramenta em formato de “X”, respirei fundo e baixei a chave de roda com toda a minha força. O vidro rangeu e começou a partir em milhões de pedaços. Um largo sorriso colou nos meus lábios enquanto deferia mais alguns golpes no parabrisa. Enquanto surrava o vidro do automóvel com minha ira, um sentimento de alivio começou a correr pelo meu corpo.

Ah! Nada como uma cirurgia de peito aberto para exorcizar de vez esses malditos fantasmas. Conclui, ao mesmo tempo dava alguns passos para trás. Logo, a chave de roda atingiu a janela do motorista. Três pancadas depois e o vidro estava completamente destruída, assim como o parabrisa. Olhei para o próximo vidro, enquanto mordia o lábio inferior. Será que devo?!

Que porra você está fazendo? – a voz dele era cortante. Ops! Será que temos alguém muito bravo por aqui?!

Eu?! – perguntei completamente confusa, girando nos calcanhares.

Quem mais poderia ser? – wow! Que evolução! Agora ele usa o sarcasmo.

Não sei... – tagarelei brincando com a ferramenta entre meus dedos. – Talvez os Minions?!

Sério, Ângela?! – seus olhos estavam queimando com ira, assim como seu tom. - Agora, você está colocando a culpa nas costas de personagens de um desenho animado?!

Eu não estou colocando a culpa em ninguém, Jonas... Apenas disse que não fiz nada!

E quem mais poderia ter quebrado os vidros do meu carro?! – sua sobrancelha estava arqueada. Wow! Ele perdeu a noção do perigo, ou o que?! Eu não vou confessar nada. Inocente até que se prove o contrário!

Eu já te disse, Jonas! Os Minions destruíram os vidros do seu carro!

Seus olhos reviraram, enquanto suas mãos bagunçavam seus belos cabelos negros.

Como eu vou trabalhar?! – questionou-se em um rosnado baixo.

Oh! Não se preocupe! Ainda existem ônibus! – ofereci com um daqueles sorrisos brilhantes.

Por que você não vai embora daqui, Ângela?! – sugeriu com seus olhos flamejantes. Yep! Ele estava muito puto, mas não queria dar o braço a torcer. Ah! Ele sabia exatamente porque suas janelas estavam moídas.

Hummm... Tudo bem! – concordei dando de ombros.

Então, girei os saltos na calçada antes de seguir direto para o meu carro, do outro lado da rua.

Ela só pode ser louca! – Opa! Espere um minutinho! Aquele filho da mãe estava me chamando de louca?!

Jonas! – chamei enquanto me posicionava. Ah! Isso vai ser lindo!

Ele levantou os olhos do seu belo automóvel para me encarar com mil perguntas desenhadas em sua expressão. Ampliei o sorriso, em clara antecipação. Então, joguei a chave de rodas pra cima. Segundos depois, agarrei aquela ponta mais fina... Oh! Será um belo lançamento! Conclui, antes de iniciar a contagem. Três, dois,... O barulho do vidro se dividindo em milhões de pedacinhos ecoou por toda rua.

Ops! – tagarelei com um sorriso amarelo.

Imediatamente, seus olhos verdes nublaram. Hora de ir, garota! O alarme na minha mente soava desvairadamente. Sem mais delongas, fechei a distância até o meu automóvel. Entrei e quase no mesmo momento o motor rugiu, soltei o freio de mão e engatei a marcha. Então, afundei o pé no acelerador.

Sim! Eu quebrei a porcaria daqueles vidros por pura vingança. Ah! Não venha me dar um daqueles sermões longos e tediosos, afinal você não faz idéia do que o desgraçado me fez passar nos últimos três meses. Era pouco, bem pouco. Mas, pelo menos agora, ele sabe que sou capaz de muita coisa.

Nunca subestime uma garota! – articulei para mim mesma enquanto elevava os olhos para o retrovisor. Assim que vislumbrei o reflexo do meu rosto, abri um ensolarado sorriso de satisfação.

Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mas lembre-se:

✔ Identifique-se;
✔ Evite palavrões, educação é bom, bonito e todo mundo gosta;
✔ Estou aberta a todas as opiniões, mesmo que a sua seja uma crítica;
✔ Retribuirei qualquer comentário, se possuir blog;
✖ Não faça propaganda de seu blog, se quiser deixar o link, comente usando a opção Nome/URL ou com o seu OpenID.

Obrigada por comentar!!! =D



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Michele Design